Tópicos Especiais em Tecnologia Educacional

Plataformização da Educação (optativa)

Tudo aqui pode ser alterado até o final do mês de março, para alinhamento com o perfil dos alunos matriculados. Leituras e atividades específicas serão postadas em breve.

MTC 0079
Terças-feiras, 09h00-11h30
Modo: Presencial – FE5-S5 (prédio FE 5, sala 5)

Ementa dessa oferta

Este é um seminário de leitura/laboratório de ideias com atividades práticas para pensar, discutir e pensar os territórios contemporâneos e especulativos (futuros) da tecnologia na educação pública.

Em nossa vida cotidiana, estamos permeados por plataformas digitais que fazem a mediação e medição das nossas vidas; quase ignoramos isso em troca de entretenimento e comodidade. Um fenômeno muito parecido acontece na educação pública, e este sim, é praticamente invisível. No mundo de hoje, a tecnologia não é uma ferramenta que você escolhe incorporar à sua prática. Sua prática e suas escolhas educativas já estão sendo moduladas por tecnologias há muitos anos.

Aqui, nós vamos investigar os problemas e desafios do avanço de grandes plataformas/big tech e do capitalismo de vigilância na educação. Vamos discutir como dados, algoritmos e plataformas estão de tal forma imbricados nas nossas instituições educativas e nas nossas vidas, que falar de tecnologia como ‘escolha’ na educação, é uma ilusão.

Para fazer isso, vamos utilizar práticas educacionais abertas (PEA) e engajar, de forma colaborativa, na criação de recursos educacionais abertos (REA) que vamos compartilhar livremente.

Metodologia e procedimentos

Esta é uma matérias focada largamente na leitura e discussão. Não espere somente apresentações em sala de aula. O engajamento com as leituras é essencial.

  • Leituras de artigos acadêmicos, notícias, relatórios e outros textos semanalmente;
  • Palestras periódicas sobre a temática com o professor e convidados externos;
  • Seminários de discussão em sala de aula sobre os textos;
  • Construção colaborativa de textos e gráficos, com oficinas para aprender a utilizar plataformas e sistemas de software de criação colaborativa de conteúdo;
  • Produção e apresentação de trabalhos individuais e em grupo.

Avaliação

  • 15% – Questionários sobre as leituras no Aprender3 e em sala de aula;
  • 15% – Participação na construção no(s) infográfico(s), e discussão sobre suas contribuições, individualmente, em sala de aula
  • 35% – Atividades individuais ao longo do semestre
  • 35% – Atividade final e apresentação do trabalho, em grupo

Todas as atividades em grupo poderão ser disponibilizada pelo professor de forma aberta, com uma licença CC-BY-SA 4.0 (falaremos sobre isso). Atividades individuais só serão compartilhadas abertamente com o consentimento da aluna/o.

Sistemas e plataformas

Nós vamos utilizar alguns serviços e plataformas durante o curso:

  • Aprender3 – sistema de gerenciamento de ensino (LMS) oficial da UnB, baseado em um software livre (Moodle). Vamos usá-lo para entrega de atividades formais, avaliações e notificações. Verifique sempre o e-mail cadastrado na plataforma e insira uma foto + bio em seu perfil. Problemas com senha, usuário, ou afins, fale com o Atendimento CEAD.
  • Wikiversidade – o mesmo software livre utilizado pela Wikipedia, mas centrado em grupos de pesquisa e formação. Aqui você pode editar sem medo! Temos nosso espaço e vamos usá-lo para melhorar conteúdo e criar coisas novas, de forma colaborativa. Tutorais em texto e vídeo feitos por alunos da Pedagogia, aqui. Vamos criar uma conta e aprender a usar em aula.
  • Excalidraw – software livre de desenho colaborativo. vamos usar um único mapa conceitual para construir nossa noção colaborativa sobre plataformização da educação. O link colaborativo será enviado diretamente aos alunos no Aprender3.

Talvez também utilizemos

  • Element – software livre de comunicação colaborativa (como Whatsapp) baseado no protocolo livre Matrix, com apps para celular, web, computador. Caso seja decido que queremos algo assim, vamos usar Element. Tutorial de instalação feito por alunos.
  • Postagens em redes sociais para engajamento com público via Mastodon, uma alternativa livre ao ambiente tóxico do Twitter/X.

Bibliografia básica

Temas abordados

19/mar – Introdução

Apresentação da disciplinas, da ementa e da temática.
Discussão sobre as plataformas e sistemas, criação de contas, dúvidas.
Aula com horário reduzido: participar das atividades da semana de integração da FE.

Para semana que vem, ler LEMOS.

26/mar – Cultura livre e colaboração

Vamos discutir brevemente o cenário que leva a possibilidade da plataformização: cultura digital, cultura livre, web, e temas afins.

Para semana que vem ler FURTADO e AMIEL.

02/abr – Recursos Educacionais Abertos e Software Livre

Vamos produzir diversos conteúdos em nossas atividades, e grande parte desses conteúdos vão ser ‘abertos’. A maioria (ou totalidade) dos sistemas que vamos usar são software livre. Para que todos possam entender o que isso significa, vamos falar sobre esses temas e também licenças livres e formatos abertos. Essas temáticas, teórica se práticas, serão úteis também na discussão sobre plataformização.

09/abr – Oficina de software

Vamos botar a mão na massa e aprender a usar os software/sistemas que utilizaremos durante o semestre. Sala AT52/10 – FE01 (laboratório de computadores).

Para semana que vem, leituras a definir.

16/abr – O que são plataformas?

Começo do período de greve, sem aulas. Mais informações em https://adunb.org

23/abr – O que são plataformas?

Vamos começar com uma discussão mais de ‘alto nível’ sobre plataformas no cenário contemporâneo, com ênfase na educação. Discutir a diferença entre IaaS/SaaS/PaaS (infraestrutura, serviços e plataformas) e os diversos tipos de plataformas que existem, dentro e fora do contexto educacional

30/abr – Capitalismo de Vigilância e Capitalismo de Plataforma

Os conceitos cunhados por Shoshana Zuboff e Nick Srnicek são muito útil para entender o imperativo econômico da plataformização. Vamos explorar de forma abrangente o funcionamento de empresas como AirBnB e Uber e conceitos como gig economy, uberização, que contribuem para entender o fenômeno para além da educação.

07/mai – Plataformização

Vamos sair do conceito de plataformas e aprofundar o significado da plataformização e entender o leque de relações e consequências desse fenômeno contemporâneo. Seguimos depois, aprofundado outros conceitos que surgirão aqui, como dataficação e algortimização.

14/mai – Dataficação

Dados, dados e dados. Big data. Todos os dias crescem a quantidade de dados que geramos. Mas a quantidade de dados que geramos em redes sociais é só um aspecto da nossa vida contemporânea: as origens, usos e consequências dos dados tomaram novos rumos, levando a uma dataficação crescente de nossas atividades. Vamos explorar esse conceito.

21/mai – Algoritmização

Não haverá encontro presencial. Participar online ou ver o vídeo do Fórum da Internet do Brasil, mesa: A plataformização da educação na América Latina e na África e os desafios da soberania digital no Sul Global (dia 22/05, 11h00).

28/mai – Algoritmização (juntando tudo)

Vamos explorar consequências da crescente utilização de algoritmos nas plataformas, inclusive olhando para IA e LLMs.

04/jun – O futuro das plataformas

Vamos discutir movimentos que buscam ressignificar a plataformização e estratégias que vão de encontro aos elementos nocivos da plataformização na educação. Abordaremos plataformas alternativas, digital public goods (DPG), plataformas públicas e valores públicos (public values), joint procurement, DPIAs e outros instrumentos legais e formas de ativismo.

11/jun – Trabalho em grupo

A definir

18/jun – Trabalho em grupo

A definir

25/jun – Apresentação dos trabalhos

Feedback dos alunos e do professor em sala de aula.

02/jul – Último encontro

A definir.